Temporal assustou os moradores de Maringá, defesa civil atendeu quase 300 chamados

325

O temporal que atingiu a cidade de Maringá (PR) e outros municípios da região na tarde de ontem (terça-feira), 14 de setembro, durou aproximadamente 15 minutos, porém foi o tempo suficiente, para causar estragos em diversos pontos da cidade, principalmente na zona norte. O bairro mais afetado pela chuva que chegou acompanhada de um vendaval, foi o Jardim Alvorada. A chuva não era prevista pelo Sistema de Tecnologia e Monitoramento do Paraná, (SIMEPAR). A cidade registrou vários pontos de alagamentos. Na manhã desta quarta-feira, equipes da prefeitura, copel e defesa civil, retomaram o trabalho para reorganizar a cidade, que ontem a tarde parecia ter sofrido um ciclone.

Segundo o balanço parcial divulgado pela defesa civil, até o final da manhã de hoje foram 289 chamados, e ao menos 145 árvores caíram na cidade, cerca de 40 lonas foram distribuídas para auxiliar moradores que tiveram suas residências afetadas. A copel divulgou que após o temporal, aproximadamente 30 mil domicílios ficaram sem energia, por causa da rede que foi atingida por galhos e postes quebrados. Na Avenida Sofia Rasgulaeff, no Jardim Alvorada, o motorista de um carro saiu ileso após o veículo que estava em movimento, ter sido atingido por uma árvore. A uma quadra do local deste incidente, um raio partiu ao meio uma árvore de grande porte, ninguém se feriu.

A cobertura de um posto de combustíveis situado na Avenida Morangueira, não suportou a força do vento. Um carro que estava estacionado na Avenida América Belay, no Jardim Imperial, ficou danificado após uma árvore cair sobre o mesmo. Teve árvore que caiu sobre fiação elétrica, e o cenário na rua era de destruição. O temporal gerou imagens impressionantes. Árvores caídas em canteiros centrais, sobre residências, postes totalmente destruídos, quedas de árvores que interditaram avenidas e ruas da zona norte da cidade e bairros da zona leste. Para esta quarta-feira há previsão de mais chuvas em Maringá e região. As equipes da defesa Civil e demais envolvidos nas ocorrências seguem em alerta. Além da defesa civil e copel, estão trabalhando nas ocorrências; Equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana, Arborização, Corpo de Bombeiros, Guarda Civil Municipal, Secretaria de Infraestrutura, Polícia Militar e Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).