Vídeo mostra atentado a tiros na zona norte de Maringá

652

FLAGRANTE DO TIROTEIO

Um atentado a tiros resultou em uma pessoa presa, na madrugada deste sábado (14), na cidade de Maringá. O crime ocorreu na Rua Pioneiro Ercílio Silva, com a Rua João Carneiro Filgueiras, no Conjunto Paulista, zona norte da cidade. Conforme informações, quatro criminosos tentaram matar o motorista de um Jeep Renegade, quando o mesmo chegava em sua residência. Imagens de uma câmera de segurança registraram o momento exato do atentado.

Pelas imagens, é possível ver o momento em que a vítima para em frente a casa. Na sequência, três homens desembarcam de um veículo de cor escura e começam a atirar na direção do morador. As imagens não mostram, mas de acordo com a Polícia Militar, existe a suspeita que a vítima tenha revidado trocando tiros com os suspeitos em uma outra rua, enquanto os indivíduos fugiam.

Várias equipes da Polícia Militar foram para o local, e não encontraram nem os suspeitos e nem a vítima, apenas várias cápsulas de pistola calibre 9mm e .380, que ficaram espalhadas pela via. Enquanto a equipe policial confeccionava o Boletim de Ocorrência, a guarnição recebeu informações de que na Rua Antônio Ungari, no Jardim Planalto, em Marialva, havia um carro crivado de balas com as mesmas características do carro da vítima.

A equipe Rotam de Marialva, foi acionada e quando chegou ao local, abordou o motorista do Jeep em frente a residência de um amigo e para a surpresa dos policiais, o rapaz não ficou ferido. No carro havia um carregador de pistola. Já na casa da vítima, os policiais encontraram drogas, três carregadores de pistolas e balanças de precisão.

Ainda segundo a PM, essa é a segunda tentativa de homicídio que ele sofre. No ano passado o rapaz também escapou ileso de um atentado a tiros na Avenida Dona Sophia Rasgulaeff. Na ocasião, um jovem acabou sendo atingido em seu lugar. Diante dos fatos, o dono do Jeep recebeu voz de prisão e foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil, onde foram tomadas as providências cabíveis. A DHPP, irá investigar o caso.