Morador de Maringá que mandava drogas para outros estados via transportadoras é preso em operação do Denarc com a Receita Federal

734

O DENARC (Divisão Estadual de Narcóticos) e a Receita Federal de Maringá deflagaram na tarde desta quinta-feira (12), uma operação em combate ao tráfico de drogas, denominada de “Encomenda Suspeita”. O objetivo da operação era a apreensão de entorpecentes e prisões de traficantes.

Em Maringá foram cumpridas duas medidas cautelares, sendo uma de busca e apreensão e outra de prisão preventiva. Conforme o delegado titular da Denarc Maringá, Leandro Roque Munin, as investigações tiveram início na semana passada, quando servidores da Receita Federal, durante operação de fiscalização de rotina em uma transportadora da cidade, suspeitaram de uma encomenda e acionaram o apoio do DENARC.

Os investigadores compareceram ao local com o cão farejador, que durante uma varredura, indicou a presença de droga no interior do volume. Ao ser aberto, verificou-se que ali havia 2,2 kg de droga conhecida como crack. A droga foi apreendida. Foi checado, então, se havia outras encomendas do mesmo remetente. Foram encontradas outras duas remessas, uma destinada a São Paulo (SP) e uma outra a Jequié (BA), ambas já haviam sido despachadas. O volume destinado a São Paulo foi interceptado e trazido novamente a Maringá pela transportadora, onde foi apreendido contendo 11,5kg de droga conhecida com Skank.

Em relação ao pacote (encomenda) destinado à Jequié, foi acionada a Polícia Civil da Bahia, que efetuou a apreensão do volume contendo 15kg de droga conhecida como Skank, bem como realizou a prisão do destinatário no momento em que ele retirava a encomenda. As investigações continuaram visando a identificação do responsável pela remessa das drogas a partir de Maringá, via transportadora.

Os policiais civis conseguiram identificar um indivíduo residente no Jardim Ebenezer, zona norte de Maringá, e representaram pela prisão do mesmo, bem como pela busca e apreensão em seu endereço. Os mandados foram deferidos pela Justiça e cumpridos pelos agentes da PCPR (Denarc). A droga apreendida está avaliada em 210 mil reais.