Polícia Civil tenta localizar maníaco que estaria agindo em um loteamento da cidade

330

Depois da divulgação no início da semana, a respeito de um homem que estaria atacando casais de namorados, em Maringá, um casal procurou a Delegacia de Polícia Civil e afirmou ter sido abordada pelo suspeito há cerca de 4 meses atrás.O suspeito está sendo titulado como Maníaco do Loteamento, porque comete seus crimes no Loteamento Monte Sinai, local conhecido como o fim do mundo, situado no final da Avenida Mandacaru, após o contorno norte.

Segundo relato do casal na DP, eles estavam no loteamento, quando o indivíduo saiu armado do meio de uma plantação de milho efetuando disparos de arma de fogo. Ele utilizou os mesmos modus operandi, mandando as vítimas deitarem no chão, e que para não os matarem, praticaria sexo com a mulher.

Em um determinado momento, ele começou a passar a mão no corpo da jovem, que entrou em desespero. Situação que fez o maníaco desistir do crime. O casal relatou que no dia, por vergonha, não registraram boletim de ocorrência.

Outros casos

Um casal foi rendido e a moça estuprada em Maringá, na noite desta segunda-feira (13), no loteamento Monte Sinai, próximo ao Jardim Rebouças, local conhecido como o fim do mundo. De acordo com o Boletim de Ocorrência, o casal parou a moto em uma das ruas do loteamento para beber whisky e namorar. Depois de um certo tempo, o casal foi abordado e rendido por um homem encapuzado e armado com uma pistola, que saiu de meio uma mata.

O criminoso, obrigou as vítimas a empurrar a moto até o final da rua, próximo a uma plantação de milho e ordenou que os dois deitassem no chão. Com a arma apontada para as vítimas, o homem fez ameaças de mortes e durante um determinado momento, relatou que para não matá-los, iria manter relações sexuais com a moça.

Ele então pediu para o rapaz, se afastar um pouco e com a arma apontada para a cabeça da jovem praticou o  estupro. Inicialmente o criminoso não utilizou preservativo, somente após algum tempo ele retirou do bolso e passou a usar preservativo.

Após o abuso o suspeito, continuou com as ameaças e que iria ter relações sexuais com a jovem novamente. A vítima entrou em estado de choque, o que fez o marginal desistir e liberar as vítimas. O suspeito tem aproximadamente 1,75 m, gordo, utilizava moletom azul-claro, calça preta, sapatos estilo coturno, touca ninja (balaclava). A Polícia Militar realizou patrulhamento pelo local, mas o suspeito não foi encontrado.

A moça, que tem 25 anos, foi encaminhada ao Hospital Universitário, onde foi medicada e permanece internada. Outros dois casos que ocorreram no mesmo local estão sendo investigados pela polícia. Um dos casos o casal teve o carro roubado e o criminoso passou a mão na jovem.

O loteamento foi marcado também por um crime brutal no ano de 2019. Jennifer Tavares Mologni, de 16 anos, na época foi assassinada e estuprada, no local. O principal suspeito da morte foi preso e deve ser julgado pelo crime nos próximos meses.